POSIÇÃO X FUNÇÃO NO FUTEBOL: você consegue diferencia-las?

Por Camila Lima

Quando falo deste assunto a primeira coisa que me vem a cabeça é o histórico 6×2 do Barcelona em cima do Real Madrid em pleno Santiago Bernabéu, com a consagração de Lionel Messi como ‘’falso 9’’ encantando a todos que assistiram a partida. Os movimentos do argentino fizeram com que os zagueiros Cannavaro e Metzelder ficassem sem reação à tamanha mudança. Mais detalhes sobre esse jogo você encontra nessa análise do MW Futebol:

https://mwfutebol.com.br/2018/02/19/guardiola-messi-e-o-falso-9/

Desde então muito se fala no tema posição x função no futebol e atualmente a última convocação de Tite trouxe o tema a ser exposto novamente, porém ainda há uma grande dificuldade de entender as diferenças desses dois conceitos e a partir disso compreender sua importância.

peFonte: Jornal Marca

Posição é a região do campo em que o jogador vai jogar e está diretamente relacionada ao sistema tático da equipe e as características individuais de cada jogador, gerando referência de espaço para atuação dele em uma partida. Pensando no sistema 4-1-4-1 a posição do volante nos permite entender que ele ocupará a faixa central à frente da linha defensiva, principalmente cobrindo a ‘’zona de funil’’.

Quando falamos de função nos referimos aos comportamentos ou ações que o jogador deverá cumprir dentro de campo nos diferentes momentos do jogo, com e sem a bola (ataque, defesa e suas transições) e está diretamente relacionada ao modelo de jogo do treinador para seu time. Duas equipes que jogam em um sistema tático 4-4-2 podem apresentar comportamentos bem diferentes dentro de suas propostas, uma atuando com dois volantes e dois meias de armação, outra com um volante, dois meias de contenção e um meia atacante, por exemplo.

A partir desse entendimento e com a colaboração de alguns profissionais que atuam há bastante tempo na área construímos uma guia, que de maneira globalizada, tentou elencar e descrever as possíveis funções na independência de um modelo de jogo e sistema tático a ser utilizado, porém entendemos com clareza que as dinâmicas, tanto de maneira individual quanto coletiva, dos jogadores dentro de suas equipes são mais importantes e muito variáveis ao trabalho que realizamos, pois são diretrizes para o funcionamento do modelo de jogo, pondo em prática as ideias do treinador em um confronto que tem a imprevisibilidade e aleatoriedade como característica.

Wilton Bezerra, auxiliar técnico de Dado Cavalcante e atualmente no Paysandu, exemplifica essa questão ao falar de Danilo Pires, que é volante de origem, porém na equipe atual faz a função de meia extremado pelo lado direito dentro do sistema 4-1-4-1, mas na recomposição defensiva marca como um volante, porém na referência de espaço de sua posição dentro da segunda linha de quatro. Outra questão levantada por ele é a não caracterização de um primeiro e segundo volante (enquanto um sai para o jogo, outro centraliza na dinâmica da equipe), para que assim ambos participem do processo de construção com bons passes de rupturas, sejam eles com características mais ofensivas ou defensivas. Isso nos leva a pensar no quão fluído é um jogo de futebol e nas inúmeras possibilidades de atuação dos jogadores dentro da dinâmica pensada para a equipe a partir de seu modelo de jogo e por isso ressaltamos sua relevância ao debater sobre esses conceitos.

A escolha do modelo de jogo passa pela escolha do sistema tático para os momentos de ataque e defesa dentro de suas peculiaridades, que por sua vez está ligado às características dos jogadores e que casam com a escolha de algumas funções em detrimento de outras (tudo de maneira interligada), visando o melhor funcionamento para toda a engrenagem coletiva e por isso ao falar de posição x função é preciso ter em mente essas questões e buscar compreender sua aplicabilidade no plano estratégico-tático.

Diante da lacuna de informações, dúvidas e inquietações recentes, surge o desenvolvimento deste trabalho, com objetivo de unificar os conteúdos existentes e contextualiza-los para tornar o debate mais amplo e mais completo possível. Com isso, além de buscas nas plataformas mais científicas e leituras de análises táticas escolhemos ouvir alguns profissionais que atuam na área como jornalistas, analistas de desempenho e treinadores de futebol, que merecem ser citados por serem parte fundamental deste projeto e a quem sou extremamente grata:

Eduardo Cecconi (analista de desempenho), Renato Rodrigues (jornalista da ESPN), Luis Cristovão (analista de desempenho em Portugal), Rodrigo Saffi (analisa de desempenho da equipe sub 17 do Corinthians), Wilton Bezerra (auxiliar técnico do Paysandu), Vinícius Fernandes (jornalista e integrante do Footure) e Otávio Augusto (analista de desempenho da equipe profissional do Santa Cruz). Esse último em especial, pois além de ser um grande amigo e ex-companheiro de graduação, também foi alguém que revisou toda planilha, a quem recorri em algumas madrugadas, quem compactua com as minhas ideias e me faz pensar além (fora da caixinha) e de quem sou grande fã. Muito obrigada a todos!

Confira a seguir o resultado:

(Para ver as imagens em alts resolução nos solicite via “Contato” do site ou veja por celular ou tablet.)

setor defensivo

meio campo

@camilaaveiro

Anúncios

5 comentários sobre “POSIÇÃO X FUNÇÃO NO FUTEBOL: você consegue diferencia-las?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s