ANÁLISE TÁTICA: PARANÁ X LONDRINA

Por André Frehse Ribas

No último domingo (25), o Paraná empatou em 1 a 1 com o Londrina, na Vila Capanema, e foi eliminado nos pênaltis na semifinal da Taça Caio Júnior. Isso você já sabe. Agora, irei analisar como o Paraná se comportou taticamente na partida. 

Primeiro tempo

O Tricolor repetiu a mesma base dos últimos jogos no 4–2–3–1, com Thiago Santos mais avançado no ataque. O Paraná marcou em bloco médio, sem pressionar a saída de bola do Londrina. Já o Tubarão apostou em um jogo reativo (esperar a tomada de decisão do adversário para sair no contra-ataque), para surpreender o time da casa.

Mesmo tendo maior posse de bola, o Paraná pouco fez na primeira etapa. Isso se deu por suas linhas estarem distantes, por erros de posicionamento, erros individuais e por méritos do Tubarão, que fechou as linhas de passes e dificultou a criação do time da casa. O time paranista também sentiu a lesão de Carlos Eduardo logo aos 15 minutos. O meia é o responsável por abrir espaços, flutuar e dar o passe chave para quebrar as linhas do adversário.

JK
Paraná ataca no 4–2–3–1, com seus laterais procurando o jogo pelo meio. Note, que os jogadores mais abertos, são os pontas do time (Diego e Baez).
LON
Londrina procurava fechar a linha de passe do Paraná e criar superioridade numérica na zona da bola. Linhas espaçadas dificultaram a criação no Tricolor.

 Já na defesa, o time Paranista se posicionou no 4–4–2, deixando Carlos Eduardo (Matheus Pereira) e Thiago Santos à frente. O Paraná se defendeu bem quando estava organizado no setor defensivo, mas, na transição defensiva, faltou intensidade e obediência tática para evitar os contragolpes do Londrina. A lentidão e a desatenção facilitou os ataques do Tubarão, que chegou com mais perigo no primeiro tempo, principalmente pelos lados do campo. 

hg
Tricolor se defende no 4–4–2,  com Carlos Eduardo e Thiago Santos no ataque e sem fazer pressão na saída de bola do adversário. Linhas compactas e boa organização defensiva. 
tuba
Erro de passe do Paraná. Londrina aproveita para contra-atacar pelo lado.

O gol do time visitante aconteceu após desatenção do Paraná, que deixou o adversário cobrar falta rápida e pegar a zaga desprevenida. O Tricolor teve a chance de empatar em uma cobrança de pênalti, mas Diego desperdiçou.

A melhor chance do Paraná foi aos 44 minutos. Após o zagueiro do Londrina cortar para o meio, o Tricolor recuperou a bola e Wesley limpou a marcação e finalizou no contra pé de Alan, que fez uma linda defesa. A bola continuou viva na área, mas Alan salvou mais uma vez. 

Segundo tempo

Na segunda etapa, o Paraná adiantou suas linhas e começou a pressionar o Londrina em seu campo de defesa. O Tubarão manteve sua postura. Pressionou a saída de bola do Paraná e fechou as linhas de passes, apostando no contra-ataque para matar o jogo.

Até os 20 minutos, o Tricolor continou tendo dificuldades para criar. O time chegou uma vez. Após uma bola espirrada, Thiago Santos arrumou para Matheus Pereira, que parou no goleiro Alan. Depois dessa oportunidade, o Paraná tinha a posse da bola, mas chegou pouco ao gol do adversário. 

yy
Atrás no placar, o Tricolor adiantou suas linhas para pressionar a saída de bola do Londrina.
çp
Londrina seguiu fechando a linha de passe no segundo tempo. Paraná pouco conseguiu fazer trabalhando a bola.

Precisando do resultado, o Tricolor apostou nos cruzamentos na área. E foi dessa forma que chegou com mais perigo. Primeiro com Zezinho, que cabeceou para fora, e depois com Vitor Feijão empatando o jogo. O Londrina, todo recuado, conseguiu armar dois contra-ataques para matar o jogo, mas desperdiçou as duas chances que teve. 

nn
Cruzamentos do Tricolor no segundo tempo.

O Paraná precisa melhorar muito seu desempenho no ataque. Linhas espaçadas, poucas jogadas, sem infiltrações e falta de intensidade por parte dos jogadores. Carlos Eduardo é o único jogador que busca flutuar, dar o passe chave e controlar o jogo. Sem ele, o Tricolor sofre muito. 

A Transição defensiva precisa ser feita de forma mais rápida, principalmente pelos laterais, que acabam deixando espaços nos lados. É necessário muito trabalho e reforços para o time se acertar e conseguir permanecer na elite do futebol brasileiro. 

Gostou da análise? Dê o seu feedback. 

@Andre_Frehse

Anúncios

Um comentário sobre “ANÁLISE TÁTICA: PARANÁ X LONDRINA

Deixe uma resposta