ANÁLISE TÁTICA PÓS-JOGO: INTERNACIONAL x CIANORTE

Por Juno Martins

Em mais um jogo pela Copa do Brasil, o Sport Club Internacional demonstrou um ótimo desempenho, para deixar o torcedor cada vez mais esperançoso com o futuro da equipe, conquistando mais uma vitória importante, contra o Cianorte, pelo placar de 2×0.
Esta conquista deixa o time mais leve, para a partida de volta no Paraná.

Sabemos que o Cianorte não é um adversário que apresente dificuldades de níveis alto, mas são nestes jogos que o modelo de jogo, o processo coletivo do time e tudo o que se vem sendo treinado durante semanas deve corresponder.

Analise do jogo

Se posicionando em seu tradicional esquema inicial 4-2-3-1, o time do técnico Odair Hellmann, buscava muito o lado esquerdo do campo. D´alessandro se deslocava bastante do centro do campo para as pontas, assim realizando muitas jogadas associativas com Iago, Marcinho, Patrick e Dudu. Desta forma, em um passe de Iago, Roger desperdiçou um gol cara à cara com o goleiro.

int 1Na primeira etapa, o time gerou muita amplitude com os laterais abrindo o jogo (Dudu, Marcinho e Iago). Roger gerando profundidade, segurando os zagueiros no seu campo de defesa,  para que os meio-campistas possam trabalhar a bola entre as linhas adversárias.

Como o time do Cianorte se postava em um bloco baixo (a famosa retranca), em um esquema 4-4-2, o Inter possuía sérias dificuldades de infiltração entre as linhas adversárias. D´alessandro voltava bastante para buscar a bola entre os zagueiros e volantes e a criação de jogadas não ocorria de forma efetiva, quando chegava a intermediária. Assim no restante da etapa inicial, a equipe somente conseguiu boas chances de ataque em duas cobranças de falta de D´alessandro. Após o gol, o técnico Odair realizou uma alteração para manter o time com uma solidez defensiva, colocando Patrick pelo meio do campo e deslocando D´alessandro para a ponta esquerda, formando um 4-1-4-1. Desta forma a equipe do Cianorte não conseguia rodar a bola de um lado para o outro, dificultando a criação de jogadas. Odair já dava indícios de que iria optar pela entrada de Wellington Silva.
Com a alteração do sistema tático , o time ganhou mais mobilidade, jogando cada vez mais com o controle de bola no campo adversário, principalmente na faixa central entrelinhas do adversário. Em um lance de triangulação entre Edenilson, Patrick e D’alessandro, a bola foi enfiada para Iago, que cruzou rasteiro para trás, encontrando Edenilson livre para finalizar e ampliar o placar da partida aos 23min do segundo tempo.

Com o placar já garantido, Odair realizou algumas alterações, visando ainda testes de início de trabalho:

Wellington Silva no lugar de Dudu, deslocando Edenilson para a lateral direita;
Juan Alano no lugar de Marcinho, deslocando D´alessandro para a extrema direita;

Brenner no lugar de Roger, sendo uma troca de centroavante por centroavante;

int 2Com as alterações o time se manteve no sistema 4-1-4-1 e ocupando o campo adversário.

O sistema tático foi mantido e o Inter se manteve totalmente com o controle da posse de bola até o final da partida. Mais uma partida de bom futebol no Beira-Rio!

– Posse E passe

int 3Ao longo do jogo o time possuiu uma média de 65% de posse de bola, sempre tendo o total controle das ações e não correndo riscos de perda dessa posse.

int 4O time trocou cerca de 474 passes certos, contra 33 errados, contabilizando uma porcentagem de 93,49% de acerto.
Isso demonstra que o time possui a bola em praticamente todo o jogo e o adversário somente jogou de forma defensiva.

int 5D´alessandro e Edenilson foram os principais articuladores de jogadas do time, tendo a maioria das interações de passe no jogo.

– Ataque

int 6As principais finalizações do time ocorreram dentro da área adversária. Isso evidencia que a construção de jogadas vem ocorrendo bastante neste início de 2018.

Gols

Marcinho busca a jogada de vitória pessoal em cima do marcador, buscando o espaço vazio.

int 7

Após o drible, Marcinho faz o cruzamento para o espaço vazio.

 int 8

Iago aparece no espaço, para finalizar e tocar pra dentro do gol.

int 9

O primeiro gol demonstra o time realizando ataque em bloco, onde todos os jogadores sobem juntos.

No segundo gol, a origem da jogada ocorre de uma recuperação de bola em campo defensivo. Dudu recebe na lateral e toca rapidamente para Edenilson.

int 10

Edenilson recebe a bola e toca para Patrick, que de primeira aciona D´alessandro.
int 11

D´alessandro recebe e já toca visando o ponto futuro, onde Iago faz a ultrapassagem pelo marcador, para receber a bola.

int 12

int 13

As duas imagens acima evidenciam o cruzamento rasteiro do lateral, para Edenilson, que aparece no espaço vazio e finaliza, aumentando o placar da partida para 2×0.

Os dois gols do Inter no jogo, ocorreram de trocas de passes rápidos e curtos entre seus jogadores, que atacando em bloco, chegaram rapidamente a área adversária. Mais um jogo em que um dos volantes aparece dentro da área para finalizar uma jogada, que ele iniciou.

– Defesa

Saída de bola

int 14Na defesa a “saída de 3” vem sendo bem utilizada pelos zagueiros e volantes. Nessa saída de 3, Dourado desce entre o meio dos zagueiros para iniciar a subida até o campo ofensivo e gerar a construção de jogadas (fig1).
int 15Após receber a bola, ele se projeta a frente e busca um dos laterais ou um dos meio-campistas que desce para a construção (geralmente D´alessandro ou Edenilson).

int 16

O time do Inter vem se defendendo dos adversários em duas linhas de 4, no sistema 4-4-2. Realiza pressão junto ao portador da bola, com os jogadores da primeira linha, composta pelo centroavante e o meia central mais avançado. Estes dois jogadores são os que possuem menos mobilidade para realizar a recomposição defensiva, além de caso roubem a bola, já possuem mais qualidade na retenção de bola, no aguardo da passagem de jogadores, que podem realizar a transição ofensiva com velocidade.

int 17Conforme a bola se move de um lado ao outro, as linhas realizam o balanço defensivo, sempre buscando dificultar a construção ofensiva do adversário.

– Destaque individual

O destaque individual do jogo fica por conta do lateral esquerdo Iago, que marcou um gol, além de contribuir com uma assistência.
int 18

Ele demonstra que hoje é titular da posição, tendo ótima leitura de jogo e espaço para se projetar a frente e gerar apoio ofensivo quando a bola se encontra no corredor esquerdo.
Ele possui uma ótima chegada ao fundo para tentar realizar cruzamentos e também consegue fechar a diagonal em infiltrações, se tornando uma ótima arma ofensiva de assistências e finalização do time.
O jogador possui um futuro promissor dentro do cenário nacional e está se credenciando a se tornar uma peça importante na engrenagem do modelo de jogo adotado por Odair Hellmann, no Internacional, para o ano de 2018.

@ojunomartins

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s