ANÁLISE – JUNIOR BARRANQUILLA

Por Mateus Moreira

O atual campeão da Copa Águila, Junior Barranquilla, será o adversário do Palmeiras logo na estreia da Libertadores 2018. Los Tiburones, como é conhecido o clube colombiano, se junta ao Verdão, Boca Juniors e Alianza Lima, na luta pela vaga na próxima fase através do grupo H.

Situação atual da equipe

A equipe do Atlético Junior tem dado total atenção à Libertadores neste início de ano, atualmente é o 13º colocado na Liga Águila, com 6 pontos (de 15 disputados). Muito se dá pelo clube utilizar o time reserva nas últimas partidas, quando poupou seus jogadores para as partidas da Libertadores. Olimpia e Guaraní, ambos do Paraguai, foram eliminados pelo Junior no torneio internacional, dando assim a vaga aos colombianos para o grupo H.

Como joga o Junior?

Os comandados de Alexis Mendoza costumam variar seu esquema do 4-2-3-1 no momento ofensivo ao 4-4-2 na fase defensiva, quando Ruiz se alinha a Teo Gutierrez.

Los Tiburones gostam de ter a posse da bola com média de 58.8% na Liga Águila e 55.6% na Libertadores, além de ser a 2ª equipe que mais troca passes na Libertadores. O aproveitamento de passes no terço final e passes para finalizações da equipe também vai bem: é líder nesses quesitos no Campeonato Colombiano (mesmo com um jogo a menos) e está no top 5 da Libertadores. Fato é, Mendoza gosta de girar a bola, mas que sua equipe acelere através de passes ou condução rumo ao gol, variando um jogo direto com um jogo de paciência. O setor de meio-ataque é bastante móvel, preza pelo agrupamento de seus jogadores no setor da bola, mas mantendo amplitude (alargando o campo pelos lados) através dos pontas ou laterais.

Já na fase defensiva a equipe costuma marcar através de perseguições curtas, sempre em seus setores, contando muito com compensações e coberturas, mas que ainda assim tem suas falhas dando alguns espaços aos adversários. Também tem demonstrado fraqueza nas transições defensivas.

Destaques

Ninguém mais passou a bola na Libertadores que Victor Cantillo. Poucas construções da equipe colombiana não passam pelos pés do jogador. Buscar anular o jogador é uma estratégia interessante para os adversários.

jr 1

Tão falado no Brasil na última janela, Yimmi Chará não saiu de Barranquilla, pelo contrário, é o principal jogador da equipe neste ano. Principal agente ofensivo, tem média de 3.53 chutes ao gol por partida, 7 assistências para finalizações, 1 gol e 1 assistência na Libertadores. Olho nele!

jr 2

Outros destaques:

Teo Gutierrez, Jonathan Álvez e Arias

Time base: Viera; Piedrahita, Arias, Pérez, Gutierrez; Pico e Cantillo; González, Ruiz e Yimmi Chará; Teo Gutierrez. Treinador: Alexis Mendoza

Estádio: Metropolitano Roberto Meléndez (60.000)

Expectativa: Difícil não imaginar que Junior Barranquilla lute por uma vaga na segunda fase. Costuma dar trabalho dentro e fora de casa, então não será tarefa fácil para Palmeiras e Boca Juniors, seus principais concorrentes pela vaga.

@mateusmoreira_

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s