YOUNG BOYS – UM FUTURO PROMISSOR PARA A SELEÇÃO INGLESA

Por João Victor Cardoso (Panda)

A Premier League possui uma Liga reserva muito forte, em que vários jogadores jovens, que não possuem muito tempo de jogo na equipe principal, atuam e se destacam para, posteriormente, serem incorporados ao elenco profissional.

A seleção inglesa não vem com um retrospecto expressivo nas últimas competições mundiais. Depois de ser eliminada na primeira fase da Copa de 2014 e nas oitavas da Eurocopa de 2016, os “Three lions” buscam recuperar sua posição de destaque global no futebol. A Premier League é o campeonato mais globalizado do mundo e isso influencia no desenvolvimento de jogadores ingleses, que estão cada vez mais preparados e maduros para entrar em alto nível e disputar posição com craques de outros países. Neste texto, vou falar de 11 jovens talentos sub-23 que nascem e semeiam o caminho para a volta do país da Rainha ao devido prestígio no mundo da bola (tentei buscar jogadores menos “badalados” do que Rashford, Dele Alli ou Sterling).

 POSIÇÃO- Nome (Idade)-Time

                                    GOLEIRO- Jordan Pickford (23) -Everton

ing 1

A cria da base do Sunderland é um nome praticamente certo na Rússia. Pickford soma boas intervenções em sua primeira temporada na cidade dos Beatles mas esbarra em um time desorganizado na etapa defensiva e que sofre muitos gols (apenas 8 jogos sem sofrer gol na temporada). Com um bom jogo de pés, Pickford, é um bom exemplo de goleiro propositivo, capaz de evoluir muito ainda, com bons lançamentos e boa saída de bola. Os 104,8 milhões de reais foram muito bem gastos pelo Everton.                                                

                                LATERAL DIREITO- Alexander-Arnold (19)-Liverpool

ing 2

O jovem Alex é um grande exemplo de futuro lateral apoiador (a estilo de Daniel Alves).  É capaz de jogar tanto por dentro, fornecendo superioridade numérica e atuando como meia interno, ou então aberto e munindo o time com boa amplitude, enquanto Salah cai por dentro com liberdade de criação de jogadas. A sua capacidade ofensiva se mostra muito na capacidade de dar mais “passes chave” (1,3 por jogo) e driblar mais (1,4 por jogo) do que jogadores mais adiantados como Wijnaldum ou Milner, respectivamente. Com boas características defensivas, o lateral disputa posição com Joe Gomez, o próximo do team.

                          ZAGUEIRO CENTRAL- Joe Gomez (20)-Liverpool

                                    ing 3

O polivalente defensor do Liverpool já possui postura de veterano. Atua bem em todas as posições em que é escalado, e por isso está à frente de Alex-Arnold na disputa pela lateral direita (que ainda se acostuma ao nível de disputa da Premier League). Com uma média de 2,5 desarmes por partida, uma ótima imposição física e poucos erros de passe (acerto de mais de 85% por partida), Joe convenceu Kloop que merece a titularidade, independente de posição, e que só perderá a posição com a volta de Clyne. Também há a possibilidade de ganhar a disputa como zagueiro central ao lado de Van Dijk.

                     ZAGUEIRO CENTRAL- Adarabioyo (20)-Manchester City

ing 4
Insira uma legenda

 

O jovem zagueiro inglês, de descendência nigeriana, mostra-se justamente um defensor de moldes africanos. Muita força física, potência corporal e velocidade. Desde a base, mostrou-se um jogador baseado somente em um jogo de vigor, de qualidades limitadas. Mas a chegada de Guardiola e de sua ideia de jogo, aliada à sua robustez característica, transformou Adarabioyo em um dos centrais mais promissores da Inglaterra. Dificilmente estará na Copa deste ano, porém é uma peça com grandes chances dos ciclos pós-Copa e Mundial do Catar.

                            LATERAL ESQUERDO- Ben Chilwell (21)-Leicester City

                                   ing 5

Chilwell é uma figura constante nas convocações de base. Um lateral muito completo com ótimos números tanto na fase defensiva quanto no desempenho ofensivo. Tem números de defesa melhores do que zagueiros como Wes Morgan. Apresenta mais desarmes em média por jogo do que o zagueiro jamaicano (1,3 de Chilwell contra 0,7 de Morgan). Por isso mesmo já fez a função de quarto zagueiro em alguns jogos. Fuchs, que era o titular na conquista do campeonato há duas temporadas, tem uma sombra à altura e, talvez, até melhor.

                                           MEIA- Harry Winks (22)-Tottenham

                                    ing 6

Desde os 6 anos na base do Tottenham. o meia tem comparações com o craque Luka Modrić pelo seu estilo de jogo com a cabeça erguida, buscando os espaços entre as linhas adversárias e a habilidade de passe que dita o ritmo de jogo. Incorporou a este seu estilo próprio de reter a bola os princípios do futebol inglês como o suporte da equipe nas atividades ofensivas e o de balanço e controle na forma defensiva. Com uma média de acerto de 90% de passes durante as partidas, podemos dizer que é um dos meias jovens mais completos da atualidade, a exemplos de Milinković-Savić, Arthur e Saúl Ñíguez.

                                       MEIA- Loftus-Cheek (22)- Crystal Palace

                                    ing 7

Volante, meia, extrema… Loftus-Cheek é a polivalência em pessoa. E desempenha todas posições com perfeição, mesmo a de extrema (é de se esperar que seu 1,91m atrapalhem nas jogadas individuais, mas atua incrivelmente bem, oferecendo profundidade e amplitude à equipe). Quando atua como volante, é o típico “Box-to-Box” (área-a-área) participando de todas construções ofensivas e defensivas com ótima qualidade de apoio e poder de marcação. Tomara que não seja mais um dos casos do Chelsea de infindáveis empréstimos para depois afirmação e, finalmente, reconhecimento de excelente jogador como Salah ou De Bruyne.

                                     MEIA- James Ward Prowse (23)-Southampton

ing 8

James está há tanto tempo na equipe principal dos Saints que parece sempre ter mais idade. Mas não. Com somente 23 anos, é titular indiscutível do time e uma peça de possível convocação para a Copa. Podendo atuar tanto como volante distribuidor/regista (2º volante, articulando o ritmo do time) quanto como meia interno, Ward Prowse se mostra um jogador equilibrado. Com ótima qualidade de passe curto e longo e com boa vitória pessoal na zona de pressão, o meia, além de organizar o time na zona ofensiva, tem boa recomposição para atuar em área de meio com ótima marcação.

                                  EXTREMA- Demarai Gray (21)-Leicester City

ing 9

Gray é um winger (ponta) clássico que gosta de atuar com o pé trocado (destro e é ponteiro esquerdo). Com muita velocidade e vitória pessoal, consegue, facilmente, romper as linhas adversárias com dribles. Oferece amplitude à equipe e dá suporte ao atacante de profundidade. Além disso, gosta de fazer a função de ponta-construtor (jogador que parte da faixa lateral para o meio com o objetivo de auxiliar na criação das jogadas). É uma faixa de campo em que gosta muito de atuar, tanto que 2 de seus 4 gols na temporada foram como meia-atacante, por dentro.

                                   EXTREMA- Maitland-Niles (20)-Arsenal

                               Arsenal v Reading - EFL Cup Fourth Round

O jovem meia foi muito elogiado por Wenger no início da temporada, principalmente por sua capacidade de recomposição defensiva e pela capacidade de fechar espaços ao fechar a linha de meio. Por isso, atua menos vezes avançado e cada vez mais como ala na posição de Héctor Bellerín ou de Monreal. Mesmo assim, é um jogador agudo com ótima capacidade de dribles, de passes e chutes fortes de fora da área para criar um sistema próprio, independente do lado, na etapa ofensiva.

                                CENTROAVANTE- Tammy Abraham (20)-Swansea

                            ing 11

Talvez um dos mais promissores desta safra de atacantes que a Inglaterra fornece, como Solanke, Calvert Lewin ou até Rhian Brewster. Convocado recentemente pela seleção, Tammy, tem boas chances de ir a Copa. Com a lesão de Bony, deve receber mais chances ao disputar posição com Jordan Ayew. Com ótimas características de um típico centroavante, Abraham consegue incomodar os zagueiros adversários, gerando profundidade no campo adversário e se impondo com força física para brigar com os defensores adversários. Recentemente, disse em uma entrevista: “Serei o Harry Kane do Chelsea”. Bola ele tem para isso. Resta saber se terá chances no elenco principal de Stamford Bridge na próxima temporada.

Imagens: Getty Images e PremierLeague.com

Estatísticas: Whoscored.com

@P_Capitano10

Anúncios

2 comentários sobre “YOUNG BOYS – UM FUTURO PROMISSOR PARA A SELEÇÃO INGLESA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s