RAIO X – FLUMINENSE x SALGUEIRO

Por Jorge Coutinho

O Fluminense fechou o Campeonato Brasileiro de 2017 com campanha modesta. Com uma das piores defesas da competição e livrando-se do fantasma do rebaixamento faltando 3 (três)  rodadas para o fim do torneio, a torcida do Fluminense sofreu muito. Aliado a este incômodo histórico recente, viu no inicio deste ano a perdas de ao menos 7 (sete) peças/jogadores que frequentavam o time principal daquele ano. Com dinheiro em caixa baixo, o clube pouco contratou. A esperança tricolor, tem um nome e sobrenome, Abel Braga. Somente o seu treinador e sua comissão técnica seriam capazes de corrigir erros do ano anterior. Com a pré-temporada comprometida pela Florida Cup, o tricolor das Laranjeiras viu nas 2 (duas) semanas anteriores a esta partida analisada, a chance de mudança de postura e modelo de jogo, que apenas o comandante seria capaz de executar com esta sequencia de treinamentos. No último jogo do dia 16 de fevereiro, válido pela segunda fase da Copa do Brasil, foi possível ver diversas alternâncias de modelo de jogo, e principalmente na postura defensiva.

Muita coisa mudou. Abel neste ano atua no esquema predominante 3-5-2, e ao longo do jogo variações são observadas prevalencendo o 3-4-2-1 ,com Marcos Jr ajudando Sornoza na armação no primeiro tempo, e Robinho fazendo/ alternando o mesmo papel na segunda etapa. Com jogo apoiado e com os seus 2 (dois) laterais dando amplitude de jogo e a maestria do meia equatoriano Sornoza, a equipe carioca assim construiu suas principais jogadas de ataque.

flu 1

No setor defensivo Abel criou uma proteção com seus 3 (três) zagueiros (Gum, Renato Chaves e Ibanez) compacto a sua linha de 4 (quatro) no meio com Gilberto, Jadson, Richard e Marlon. Os dois primeiros blocos (linhas de jogadores) se alternavam ora bloco baixo (na defesa) ora médio (mais postado no meio campo)

flu 2

O goleiro Júlio César esteve seguro e foi ameaçada na maioria das vezes apenas por chutes de fora da área, face o bom posicionamento e superioridade numérica que o setor defensivo impôs. A equipe pernambucana teve 6 (seis) finalizações, sendo 4 chutes de fora da área, e 2 (duas) finalizações dentro da área. O arqueiro preferiu iniciar a construção da jogada com passes curtos e rasteiros (16 vezes em 19), desses 19 passes acertou 17, e errou duas bolas longas (3 tentativas, 2 erros). Observar no vídeo abaixo a dificuldade que o sistema defensivo do Fluminense impôs ao adversário, obrigando a chutar de longe.

                               Setor Defensivo
1 – Adversário “encaixado”.
flu 3

2 – Superioridade numérica.flu 4
3 – Jogadores próximos e equidistantes.flu 5

O Flu de Abel caracterizou-se nesta partida por manter a posse de bola e propor o jogo. Com 63% da posse bola, a equipe ficou com cerca de 45 minutos com a bola em seu domínio. Trocou 647 passes, que nos dá uma média de 4 segundos por jogador carregando a bola, evidenciando assim uma troca de passe um pouco lenta. A construção inicial das jogadas foi frequentemente buscada pelos volantes Jadson (88 passes, 95% certos) e Richard (66 passes, 89% efetivos) e pelo lateral direito Gilberto ( 65 passes, 89% de aproveitamento).
Através das imagens abaixo é possível verificar aonde os jogadores Marcos Jr. e Robinho tocaram na bola ao longo do campo. Observar que embora tenham tido a mesma orientação em campo, a presença do Robinho próximo e dentro da meta adversária pelo lado direito é maior que a do companheiro, que buscou o jogo em todas as partes do campo ofensivo.

Marcos Junior                                         Robinho

O tricolor das Laranjeiras, terá pela frente nos próximos dias duas partidas válidas pelo campeonato carioca: o primeiro adversário será o forte calor e a equipe do Bangu, e o segundo jogo o clássico mais charmoso do Brasil, o Fla-Flu.

  Poderá a equipe de Abel Braga, manter viva a chama da Esperança?

  A conferir na próxima semana.

@jorginhoFFC

Anúncios

13 comentários sobre “RAIO X – FLUMINENSE x SALGUEIRO

  1. Boa noite !! Realmente houve uma grande evolução da equipe após um início preocupante, mais logo após este torneio chato na Florida que não acrescenta de nada a equipe passou a ter um padrão de jogo totalmente diferente e animador mesmo enfrentando equipes de baixo nível técnico. portanto temos que ter esperança sim de um ano melhor mesmo tendo um presidente merda que temos

    Curtir

  2. Boas observações . As coisas de fato já estiveram mais nebulosas. Graças ao nosso experiente técnico , através da melhora demonstrada no
    Último confronto com o
    Modesto Salgueiro (PE) , nos deu uma esperanças da manutenção na série A para 2019. Mas se não
    Quisermos
    Passar novos sufocos em 2018 , precisamos de reforços , em especial um novo 9 ( Pedrinho podia rodar um pouco … talvez uma série b lhe fizesse bem … outrora W.Nem fora emprestado , retornou um atleta de outro nível – pena que as seguidas lesões o impossibilitaram de mostrar o futebol que o
    Consagrou com a camisa do tricolor das laranjeiras ) , um lateral esquerdo para disputar posição com marllon ( estou crendo que o tal do Leo vem para ser uma boa sombra para o Gilberto pelo lado
    Direito ) e um bom zagueiro para suprir o
    Gum nas suas quedas de rendimentos e falhas que são bem
    Prováveis durante a temporada , isso sem falar de lesões . Acho que esse é o
    Mínimo para que não
    Passemos vergonhas durante este ano . Saudações tricolores ; que o João de Deus abençoe nosso querido pavilhão e que estes jogadores e dirigentes honrem e respeitem as três cores que traduzem tradição .
    Forte abraços ,

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s